Eleições – Pandemia não permite que candidatos prometam “milagres”

by

A pandemia da Covid-19, instalada no Brasil e no mundo desde março de 2020, deixa a economia e crescimento em índices negativos. Em agosto, o País contabilizou uma baixa no Produto Interno Bruto (PIB) em mais de 9% negativos, desde o começo da crise econômica provocada pela pandemia. Previsões otimistas calculam que vai levar 13 anos para o Brasil voltar à normalidade. O município de Tatuí faz parte do contexto econômico e tudo leva a crer que os discursos de candidatos a prefeito e vereadores, para as eleições de 15 de novembro, não permite promessas e muito menos “milagres”. Mesmo porque, a população sente em seus bolsos e em suas residências o flagelo do desemprego, redução da renda familiar e  isolamento social para as pessoas de risco.

O Jornal Integração recorreu ao economista Renato José Rodrigues Fernandes (FGV/SP), para fazer uma nova análise econômica do município de Tatuí e  cidades da região em relação à situação do mercado de trabalho. Os números são recentes e coletados dia 7 de setembro do Caged, órgão do Ministério do Trabalho, e da receita oficial do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza), da Prefeitura Municipal de Tatuí.

Em relação à situação econômica de Tatuí, embora o município esteja na fase amarela do Plano SP da Covid-19, os números ainda não são promissores. Renato Fernandes explica que “após queda de 15% na arrecadação de ISS (Imposto Sobre Serviços) no segundo trimestre de 2020, em função da paralisação das atividades ocasionada pelo coronavírus, a queda dos dois primeiros meses do 3º trimestre (julho/agosto) ficou em 4% negativo. Este número indica uma recuperação parcial da atividade econômica no município”.

O número de recuperação de empregos também não é nem um pouco animador, de acordo com dados oficiais do Caged (M.T.E.). Na análise do economista tatuiano, após perder 1.240 vagas nos dois primeiros meses após o início da pandemia (abril/maio), o município de Tatuí recuperou 191 postos de trabalho nos meses de junho e julho. O gráfico mostra que Tatuí, após cinco meses de pandemia, continua com uma variação acumulada negativa de 1049 postos de trabalho a serem reconquistados, para voltar ao estágio pré-pandemia.

Em nove cidades da região, analisadas pelo economista, os destaques positivos notabilizam-se Pereiras e Laranjal Paulista. Pereiras continou a gerar empregos durante a pandemia, com aumento de 2,6% em relação a Março (64 novos empregos). O caso atípico na região é Laranjal Paulista. No mês de julho, este município recuperou todos os empregos perdidos nos meses anteriores, em decorrência da Covid-19 (posição atual 0,1% positivo e 12 novos empregos gerados). No caso de Laranjal este fenômeno pode ter uma explicação. O município possui muitas fábricas de brinquedos e o dia 12 outubro (Dia das Crianças), pode ter contribuído para elevar o número de contratações em julho.

Nesta análise econômica, o destaque negativo na região fica para Boituva. Até o mês de julho ainda não conseguiu recuperar os empregos perdidos e amarga a situação de pior índice nas nove cidades analisadas ( queda de 4,2%, com perda acumulada de 830 empregos, em relação ao saldo de março de 2020).

Situação de Tatuí – O isolamento social, fechamento do comércio, perda de empregos, infectados pelo coronavírus, 57 mortes até esta semana contribuíram para o município de Tatuí não ficar isolado dos problemas causados pela Covid-19. No entanto, na área da saúde o poder público deu uma resposta satisfatória para a população. Seguiu o protocolo do Governo de São Paulo, contou com a colaboração de voluntários,  empresas e clubes de serviço para amenizar os efeitos da crise. A pandemia da Covid-19, ainda preocupante, toma contornos favoráveis e só pode ser definitivamente resolvida quando surgir uma vacina segura.

 Durante a pandemia, o Comitê de Prevenção do Coronavírus (Secretaria Municipal de Saúde), ainda consegue atender aos doentes, sem colapso nos leitos hospitalares e vagas de UTI. A Santa Casa de Tatuí, até o momento, dá conta da demanda de infectados, o pronto socorro municipal funciona normalmente, as Unidades Básicas de Saúde (UBS) desenvolvem os trabalhos de testes da Covid-19 e a Prefeitura Municipal conseguiu colocar em funcionamento a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), na Rua Domingos Bassi, em frente ao velho “Mangueirão Municipal”.

Na parte econômica, além da perda de postos de trabalho, pequenos negócios sentiram o forte efeito da pandemia. Dezenas de pequenos estabelecimentos não resistiram à crise. Bares e restaurantes foram bastante afetados, restando apenas o serviço de “delivery”. Neste quadro econômico devastador, o candidato que prometer “milagres”, seja ele postulante ao cargo de  vereador ou à prefeito, deve estar em um perfeito devaneio e pode até servir de caçoada dos eleitores. Sem colocar a questão, que a Covid-19 ainda presente,  não permite aglomerações com comícios e nem visitas às famílias para pedir votos. ZQ����

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: