DECRETO GOVERNAMENTAL REGULAMENTA FUNCIONAMENTO DO CONSERVATÓRIO

by

Adventícios que chegam à Tatuí e pensam que podem dirigir o Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de qualquer  maneira estão enganados. A melhor escola de música da América Latina é regida por um Decreto Governamental de 6 de março de 1971, ainda em vigor, e assinado pelo governador Roberto Costa Abreu Sodré.

Diante da celeuma que ocorre no Conservatório, o Jornal Integração foi ouvir o maestro José Coelho de  Almeida, diretor da escola no período de março de 1968 a 26 de abril de 1983, data simbólica para ele, pois  nesse dia foi fundada a Escola Estadual “Barão de Suruí”, onde lecionou Desenho. Durante sua gestão, o Conservatório tornou-se referência mundial no ensino da música clássica e até hoje alunos compõem as mais renomadas orquestras, entre elas a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), Orquestra Sinfônica de Campinas e a Orquestra Sinfônica Paulista, do Conservatório, a “Prata da Casa”.

Ao semanário, o professor afirma que “resolvi dar meu depoimento ao Jornal Integração para contar um pouco da história do nosso querido Conservatório. No Regulamento, em vigência, quando assumimos a direção da escola de música, orgulho para nossa cidade, somente estavam previstos os cursos de  clarineta e congêneres, violino, violão e iniciação musical.

 Não tínhamos professores para alguns cursos e não estavam previstos os cursos dos demais instrumentos de cordas, sopro, metais e percussão. Como na época, a política era acirrada em Tatuí, muitos achavam que iríamos perseguir professores e funcionários da escola. Nossa linha de pensamento sempre foi que nenhum administrador consciente assume o controle de uma empresa e faz mudanças repentinas. Primeiramente, conversa de maneira cordial e acolhedora com os trabalhadores, procura saber de tudo antes de fazer qualquer alteração. A produção não pode ser de maneira alguma interrompida. Deve se explicar com clareza o seu desejo de aumentar a produção e contar com os funcionários para atingir as metas almejadas”.

Um novo Regulamento

O maestro Coelho explica que nos primeiros meses de administração “vimos claramente de precisarmos de um novo Regulamento para o Conservatório. Trabalhamos diuturnamente e para elaborá-lo contávamos com um Conselho Técnico e Administrativo (CTA), formado por quatro professores e o diretor. Seguimos o trabalho com reuniões com professores, em grupos distintos, e com a Congregação do Conservatório, integrado por todos os professores, o secretário e o diretor. O assunto também foi discutido com especialistas de cada instrumento de orquestra, banda e percussão (Na época, Tatuí já contava com uma orquestra sinfônica regida pelo maestro Spartaco Rossi). O novo Regulamento foi estruturado, parte a parte, um trabalho que se iniciou no primeiro semestre de 1969 e em novembro de 1970 foi submetido ao senador Orlando Gabriel Zancaner, secretário da Cultura, Esportes e Turismo do Estado de São Paulo. Zancaner sempre deu extraordinário apoio ao Conservatório de Tatuí”.

Equipe de trabalho, consultas e aprovação

O maestro diz que “é importante destacar que a equipe do Conservatório que, em horário extra-expediente, até 22 horas, deu todo o apoio para a finalização do Regulamento. Devo destacar o jornalista Vicente Ortiz de Camargo, chefe da seção de Expediente e excelente redator (então proprietário de “O Progresso de Tatuí”, que sempre defendeu o Conservatório, grifo nosso), Hélio Reali, chefe da seção de Almoxorifado, extraordinário datilógrafo e João do Irineu, Secretário da escola. Após a redação final, iniciam-se consultas a artistas, tais como: João Carlos Martins, Yara Bernette e pianista Souza Lima, na época, maestro da Orquestra do Teatro Municipal de São Paulo. Generosamente, nos recebeu e fez uma apreciação do trabalho. Ele me disse: se este Regulamento for acolhido pelas autoridades, o Conservatório de Tatuí será a escola de música mais bem regulamentada do Brasil.

 Dr. Nelson Marcondes do Amaral, secretário particular do Governador Abreu Sodré e amigo do dr. Zancaner, acertou os detalhes para encaminhamento do Regulamento para aprovação. Dia 5 de março de 1971 foi a data marcada para apresentar o documento para o secretário Zancaner. Antes da 8 horas, eu já estava no saguão da secretária, na Avenida Paulista. Dr. Zancaner chegou e me convidou para subir, olhou os documentos e já havia um ofício datilografado para encaminhar para a Casa Civil do Governo do Estado. Ele chamou o dr. Porto, chefe jurídico da Secretaria, pediu para analisar o processo, dar um parecer, para encaminhar antes do meio-dia à Casa Civil. Dr. Porto esclareceu que o departamento jurídico da Casa Civil iria também examinar o Regulamento. No gabinete, dr. Zancaner agradeceu seu assessor jurídico e disponibilizou o seu carro oficial para me conduzir ao Palácio dos Bandeirantes. Dr. Nelson, avisado pelo secretário da Cultura, me recebeu e me encaminhou para do dr. Henrique Turner, Chefe da Casa Civil. No final da tarde, dr. Nelson e dr. Henrique estavam com o decreto assinado pelo governador Sodré e com remessa para publicação no Diário Oficial do Estado, no bairro da Mooca. Na manhã seguinte, estava estampado no Diário Oficial o decreto governamental e o novo Regulamento do Conservatório “Dr. Carlos de Campos, de Tatuí. Com esta providência, feita por tatuianos, iniciou-se uma nova etapa, com a escolha de professores para os cursos criados e o recrutamento de alunos para os respectivos cursos”.

“NINGUÉM ASSUME MUDANÇAS RADICAIS

SEM CONHECIMENTO, DIZ MAESTRO COELHO

Nas últimas semanas, demissões no Conservatório, uma reunião no dia 4 de outubro destinada a demitir  monitores, mudança no método pedagógico e extinção do Grupos Pedagógicos, com a participação de professores, monitores e alunos estão em discussão em Tatuí. O Poder Executivo aplaude e o Poder Legislativo reage com veemência contra estas incursões na escola de música, que pode resultar na perda da qualidade.

A OS Sustenidos é gerente do Projeto Guri e ainda não apresentou à imprensa algum documento que comprove sua experiência em escola de alta performance e música clássica, como os cursos ministrados no Conservatório de Tatuí. Pelo cronograma de trabalho que se tem conhecimento, a escola pode até deixar de existir como referência no ensino de música clássica. Consta de seu contrato com a Secretaria da Cultura, uma proposta de transformar todos os grupos musicais, Orquestra Sinfônica, Banda Sinfônica, Coro Sinfônico, entre outros, com a participação apenas de alunos. O Jornal Integração pediu a opinião do maestro José Coelho de Almeida à respeito desta metodologia. Abaixo a íntegra da entrevista:

Jornal Integração – Por muitos anos, o Conservatório adotou como modelo de aprendizado musical a formação dos Grupos Musicais, que consta do Regimento Escolar, com a participação de professores, monitores e alunos tocando lado a lado. A OS Sustenidos pretende extinguir este método e formar os Grupos Musicais somente com alunos. O que o sr. entende que possa acontecer com a mudança?

Maestro Coelho – Creio que é impossível aplicar a metodologia preconizada pela OS Sustenidos. Até hoje não sabemos quantos alunos de cordas (instrumentos de arco), de sopro (madeira e metais) e de percussão,  estejam habilitados para participar dos grupos musicais preconizados por essa organização social. A secretaria da escola parece ser uma “caixa preta”, que não revela a real situação de aprendizado dos alunos da escola. E quantos estariam habilitados a participar destes grupos musicais? Em vista da pandemia da Covid-19, quantos alunos estarão dispostos a voltar para Tatuí? Como será solucionada a logística para reunir esses alunos em grupos?

Jornal Integração – Maestro Coelho. Se existe essa dificuldade, o sr. não entende que é prematuro desfazer grupos já consagrados e que projetam o Conservatório no cenário nacional?

Maestro Coelho – Sim. Torno a repetir. Ninguém assume uma empresa e faz mudanças radicais, sem o conhecimento do que ela realmente produz. As mudanças devem ser consensuais, depois de uma avaliação de um administrador consciente do que já existe.

DESTAQUES DA EDIÇÃO DE 30-10-2021

DECRETO ESTADUAL REGULAMENTA FUNCIONAMENTO DO CONSERVATÓRIO

“NINGUEM ASSUME MUDANÇAS RADICAIS SEM CONHECIMENTO, DIZ MAESTRO COELHO

PRESIDENTE DA CÂMARA PEDE CREDENCIAMENTO DA HEMODIÁLISE DE TATUÍ

IGREJA COMEMORA DIA DE SÃO FREI GALVÃO

PREFEITURA FECHA NESTA SEXTA-FEIRA E ABRE NA QUARTA-FEIRA

MÚSICA NA PRAÇA APRESENTA NÚCLEO DE BOTUCATU

POETISA LANÇA TRABALHO NO CANAL DO MUSEU

FUNDO SOCIAL PROMOVE BRECHÓ SOLIDÁRIO

DESTAQUES

RIR EM TEMPO DE PANDEMIA – JARBAS SOBRAL NETO

FALECIMENTOS – GRUPO PARAÍSO

TATUÍ E SUA HISTÓRIA – NOTAS DE JULHO DE 1908

TATUÍ  INTEGRA CONSELHO DE ASSOCIAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

PRESIDENTE DA CÂMARA VIABILIZA CASA DE APOIO EM JAÚ

NOTÍCIAS DA CÂMARA

NOTAS E NOTÍCIAS

COLUNA GENTE

COLUNA DE ESPORTES

CLASSIFICADOS

DEPUTADO TRABALHA PARA A SANTA CASA

EMPRESÁRIOS INAUGURAM NOVA EMPRESA EM TATUÍ

NOVELAS

CANAL 1 – NOTAS DE TV POR FLÁVIO RICCO

MATÉRIAS OFICIAIS

(Editais da Prefeitura de Tatuí, Clube de Campo de Tatiuí, Neoeneergia Elektro, instituto de Previdência Própria do Município de Tatuí, Edital de Concurso da Prefeitura de Tatuí (Planexcon), Câmara Municipal de Tatuí e editais de casamentos do Cartório de Registro Civil de Tatuí).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: