Anúncios

Posts Tagged ‘MARCOS CINTRA’

Página 2 de 2 de Novembro de 2013

novembro 4, 2013

31 DE OUTUBRO

Crônica de J. Rigolão

É difícil alguém não manter vivo na memória um fato tão marcante, que se torna inesquecível para o resto da vida. Aconteceu comigo e o Dario, no dia 31 de outubro, esqueçamos o ano. Naquele dia assistíamos a uma convenção mundial sobre transportes. O transporte é necessidade básica do homem, e desde a época dos Caldeus até hoje, torna-se tema constante para controvérsias. Do cavalo à roda, do carro de boi ao foguete espacial, a polêmica continua. A saga dos transportes é apaixonante.

Esta convenção abordava todos os tipos de transporte: aéreo, fluvial, marítimo, terrestre e espacial, além, é claro, dos tipos de propulsão: eólico, motores a combustão, reatores nucleares, tração animal, etc. E nesse mercado não existem amadores, cada um quer defender seu quinhão. Os chineses, por exemplo, destacavam a milenar tecnologia do “riquixa”, como melhor veiculo de tração humana existente. Os venezianos, por sua vez, insistiam que em termos náuticos, nada superava as gôndolas, com seu romantismo não poluente. A maioria dos países exaltava as bicicletas. Os finlandeses enalteciam os trenós e cães siberianos, imbatíveis no gelo. O grupo brasileiro defendia os jegues como melhor sistema de “transporte misto”, que engloba indivíduos e cargas. Algumas nações da Ásia e África insistiam nas vantagens dos elefantes e os árabes  não abriam mão dos camelos. Eu e o Dario nos sentamos ao lado de duas curiosas personagens e tivemos a oportunidade de ouvir o que falavam. A conversa começou assim:

– Eu não disse a você que não seriamos ouvidos? Ninguém está mais interessado em coisas antigas, que funcionam, mas não podem ser patenteadas, nem fabricadas em série. As palavras foram ditas por um velho com cara de andarilho, vestido com turbante vermelho e colete dourado.

– Você pode desistir, mas eu não! Vamos fazer uma demonstração e deixar todo esse pessoal com cara de bobos!, retrucou a mulher de meia idade, bonita, que usava um longo branco.

Como algo aparentemente ensaiado, lado a lado, as duas figuras levantaram-se e atravessaram o salão, em meio aos participantes do congresso, provocando curiosidade. O homem subiu em um tapete, que havia deixado na porta de entrada. A mulher subiu em uma vassoura. E de repente, para espanto de todos, ambos saíram voando, acenando adeus, com olhares marotos de despedida, na direção do céu azul. Um silencio sepulcral tomou conta do salão. Antes de começar um previsível tumulto, se ouviu claramente, no fundo, alguém dizendo: – Yo no creo em brujas! Pero que las hay, las hay…

Retornando da convenção, eu e Dario, ainda incrédulos, tivemos longa conversa sobre o ocorrido. Concluímos que nossa vida é mesmo repleta de incertezas, mistérios, enganos, fatos que não podemos ou não conseguimos entender ou explicar. São tantas as variáveis, que poderíamos até mesmo concluir que o dito espanhol seria perfeito, se também considerasse a existência das fadas. Porque não? “Yo no lo creo ni en brujas, ni en fadas, pero graças a Dios, que las hay, las hay…”.

DESTAQUES ECONÔMICOS

Por Antônio J. Martins

CONCURSO PARA DOCENTE DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DE SÃO PAULO TEM 322,7 MIL INSCRITOS – Para 59 mil vagas. Salário inicial para uma jornada de 40 horas semanais de R$ 2.257,00. Nosso comentário: é um salário irrisório para um professor do mais rico estado da federação. Seria mais rentável vender “hot dog” na Rua 25 de Março. Vamos valorizar mais o professor, minha gente!

ANTECIPAR HERANÇA A FILHOS EVITA BRIGAS E REDUZ IMPOSTO – Transferir patrimônio aos filhos, aos poucos, não é somente uma maneira de ajudar no futuro financeiro deles. Desde que bem planejadas, as doações garantem eficiência tributária e evitam as brigas entre os herdeiros. (more…)

Anúncios

Página 2 de 12 de Outubro de 2013

outubro 11, 2013

RESENHA

Oswaldo Laranjeira Filho.

Oswaldo Laranjeira Filho.

REFORMA DA CÂMARA – A intenção do presidente da Câmara, Oswaldo Laranjeira Filho (PT), em investir R$ 1,5 milhão dos cofres públicos para reformar a Câmara Municipal é causa de preocupação de munícipes. Um leitor deste semanário alerta que construir um “puxadinho” de 700 metros quadrados para melhorar a condição de seis vereadores não se justifica, na atual conjuntura em que se encontra Tatuí. Ele alerta que com este dinheiro, a municipalidade poderia atender mais de 80 pessoas que necessitam de aparelhos para hemodiálise e estas não teriam que se deslocar para outras cidades para passar por este procedimento terapeutico. E o leitor ainda alerta: considere-se ainda que os vereadores só comparecem na Câmara uma vez por semana. Fica aqui registrado o desabafo do leitor para reflexão do vereador Oswaldo Laranjeira Filho.

BANCO DO POVO PAULISTA – Franca, Ribeirão Preto, Batatais, São José do Rio Preto, Marília, Rio Claro, São Bernardo do Campo, Presidente Prudente, Santa Fé do Sul e Matão, nesta ordem, ocupam os dez primeiros postos entre as agências que mais concederam empréstimos do Banco do Povo Paulista no estado. Estes dados resumem a atuação do maior programa de microcrédito estadual do país, afirma Tadeu Morais, secretário de Emprego do Estado.

E PARA TATUÍ? – O Governador Geraldo Alckmin anunciou o investimento de R$ 22 milhões no restauro dos edifícios que sediam cinco Oficinas Culturais do Estado de São Paulo, nas cidades de São Paulo (bairro do Brás), Santos, Sorocaba, Iguape e Bauru. Quatro desses edifícios são tombados pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo) e,  portanto, são oficialmente reconhecidos como parte da riqueza cultural paulista. Quem informa é o secretário Marcelo Mattos Araújo, da pasta estadual da Cultura. O município de Tatuí também possui inúmeros imóveis tombados pelo Condephaat e até agora não houve nenhum investimento governamental. Os prédios estão todos abandonados. (more…)

Página 2 de 13 de Setembro de 2013

setembro 13, 2013
– Seção Livre –

NOTA DA  PRÁXIS  À POPULAÇÃO

A Práxis é um grupo de estudantes progressistas de Tatuí cujo lema é: “Somos feitos pela História que fazemos”. Sua prática Política é marcada pelo estudo das ciências sociais bem como forte atuação em meio a população, especialmente, junto aos  jovens menos favorecidos.

Nas últimas eleições municipais, a Práxis esteve na campanha da candidata Carla Moura que embora não tenha sido eleita para vereadora, foi escolhida pelo Prefeito Manú para integrar sua equipe de trabalho junto aos jovens da cidade.

Desde a posse do novo Governo, o coletivo da Práxis tem acompanhado este seu trabalho. Entretanto, nos últimos tempos, o ativismo com alta dose de personalismo de Carla Moura, entrou em colisão frontal com a ação de conjunto do grupo que a lançou na vida política. Por isso, a Práxis vem anunciar ao público tatuiano que a partir desta data, não tem qualquer compromisso com a referida personalidade pública bem como o seu trabalho no atual Governo Municipal.

Isto não significa desconhecer o avanço que já foi dado no Programa Pró-Jovem Adulto do Governo Federal que toda Tatuí deve comemorar. Mas, nesta oportunidade, o Grupo Práxis reafirma sua convicção: o que se faz, tão somente com base na iniciativa pessoal, carece de sustentabilidade para o futuro. É como equilibrar uma pirâmide por um de seus vértices (uma pessoa). A instabilidade é o resultado. Pelo contrário, se ela repousa sobre um de seus lados (um conjunto de pessoas), firma-se uma consistente estabilidade.

Por fim, mesmo que através de uma perspectiva, a seu ver, equivocada de encaminhamento, a Práxis espera que o Governo Manú pela orientação de Carla Moura consiga, mesmo que minimamente, ampliar o espaço de participação à Juventude de Tatuí.

Texto assinado por Clodoaldo Rodrigues Nunes – Secretário Geral

RESENHA

            MERCADO MUNICIPAL – A respeito da crônica “O mercado municipal”, de Nina Leoni, publicada na última edição, algo deve ser esclarecido. A última reforma  do Mercado Municipal de Tatuí, com aquelas palmeiras na fachada, foi realizada sob a orientação de Jorge Rizek, na administração do ex-prefeito Luiz Gonzaga Vieira de Camargo. A primeira mudança na estrutura do prédio  foi na administração de Olívio Junqueira (1957/60). À época, foi incorporada a parte nova, do lado esquerdo de quem da fachada olha, à construção antiga. Na década de 1950, como nesta região  todas as construções eram antigas (fábricas), o administrador público, ao nosso ver,  pretendeu inovar o mercado com o “moderno”. A penúltima reforma ocorreu na administração Wanderley Bocchi (1989/91). O mercado recebeu aquele anexo (uma mini-rodoviária), do lado direito de quem da fachada olha. (more…)


%d blogueiros gostam disto: