NOTA DA SECRETARIA DA CULTURA ELEGE A “SUSTENIDOS”NO CONSERVATÓRIO DE TATUÍ

by

Nesta quinta-feira (17),  Viviane Ferreira, da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, enviou a Nota Oficial abaixo e a coloca como posicionamento do secretário Sérgio Sá Leite, Claudia Pedrozo (secretaria executiva) e Dennis de Oliveira (diretor de departamento da secretaria), questionados com perguntas enviadas pelo Jornal Integração a respeito da proposta da Sustenidos para administrar o Conservatório de Tatuí, criado por lei estadual de autoria do deputado Narciso Pieroni, em 1951. Se ler com acuidade a “Nota à imprensa”, o texto praticamente coloca como irreversível a contratação da  Organização Social  Sustenidos para administrar o Conservatório. Devemos esclarecer que os questionamentos enviados pelo jornal à Secretaria da Cultura ainda não foram respondidos, após uma série de pedidos de adiamento do setor de comunicação.  As perguntas versam sobre o projeto da Sustenidos de promover demissões e um verdadeiro desmonte nos cursos de excelência ministrados pela melhor escola de música clássica da América Latina.

Nota à imprensa  – O Governo do São Paulo vai melhorar e ampliar os serviços do Conservatório de Tatuí, que infelizmente enfrentou graves problemas com as últimas gestões terceirizadas. O compromisso para 2021 é de um ajuste sério para sanar a grave crise administrativa e financeira da instituição, mas sem nenhum corte de atividades ou prejuízo aos alunos e à comunidade. Em 2022, a meta é abrir mais cursos e vagas, além da contratação de professores. 

O novo parceiro da Secretaria de Cultura e Economia Criativa será contratado ainda este mês, após um rigoroso processo de seleção. O projeto da Organização Social Sustenidos, instituição de bem-sucedida gestão à frente do Projeto Guri, está em fase final de análise. 

O plano de ampliação tem duração de cinco anos e começará em 2021. Entre as ações, está o fortalecimento da linguagem do Choro, com a criação de diversos eventos e práticas, como o Clube do Choro e a criação de um acervo permanente literário e de obras dedicadas ao gênero; a inclusão de novas ferramentas digitais para salas de estudos virtuais, oferta de material didático, avaliações, debates e interações do setor de artes cênicas. 

DEPUTADA PEDE SUSPENSÃO DO EDITAL QUE

MUDA ADMINISTRAÇÃO DO CONSERVATÓRIO

Nesta quinta-feira (17), a deputada estadual Márcia Lia (PT) requereu à Secretaria de Estado da Cultura informações sobre o processo que pretende trocar a administração do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, de Tatuí, a uma Organização Social. A abertura dos envelopes foi dia 7 de dezembro, e a única habilitada a participar da licitação foi a Organização Social Sustenidos, responsável pela administração do “Projeto Guri”, que ensina música para crianças.

A deputada também apresentou  moção e pede o apoio da Assembléia Legislativa de São Paulo para que o governo de SP suspenda imediatamente o processo de escolha da nova OS, que está em andamento e a previsão é assumir o Conservatório dia 1º de janeiro.

A petista baseia seu pedido em informações do Jornal Integração, de Tatuí. O semanário enviou perguntas ao Secretário da Cultura sobre a proposta da “Sustenidos,” única OS que está sendo analisada pela pasta da Cultura para administrar a escola de Tatuí. Demissão de 70 funcionários, extinção de conjuntos mantidos pela escola, extinção dos cargos de monitor, fechamento do Pólo do Conservatório em São José do Rio Preto, redução de vagas para alunos, dos atuais 2.500 matriculados para 1500, são as indagações  apresentadas ao Secretário da Cultura pelo jornal de Tatuí

            A deputada Márcia Lia (PT) afirma que “é um edital extremamente delicado para ser publicado menos de um mês antes de iniciarmos o ano previsto para a mudança. O que estão fazendo com a cidade de Tatuí e com o Conservatório é uma falta de respeito à cidade e aos 66 anos de história da escola”. A deputada Márcia Lia, no documento enviado ä Secretaria da Cultura,  pede também a suspensão do processo de escolha pelo governo de São Paulo.

Consta também na Moção apresentada na Assembleia que “a cidade de Tatuí precisa ser ouvida sobre esse desmonte ao qual o Conservatório está sendo submetido. O Conservatório é um orgulho para a população da cidade, da região e Interior Paulista e do Estado de São Paulo. Todo o processo deve ser democrático e transparente. Inadmissível, o governo lançar mão de um edital de tamanha envergadura para analisar a menos de um mês da pretendida mudança.”

            Desmonte do Conservatório – Márcia Lia afirma que “nosso mandato está ao lado das autoridades e da população de Tatuí para buscar, não apenas a reversão desse processo, mas o devido reconhecimento e valor ao Conservatório, aos seus professores, funcionários e alunos. O governador João Dória  promove uma série de desmontes se utilizando da pandemia. De fato, vivemos um momento delicado, mas o governador está aproveitando o momento para “passar sua boiada” e desmontar muito do que foi construído pelo povo de São Paulo. Nós estamos nos opondo e vamos continuar lutando”, finaliza a deputada Márcia Lia. 

CLASSE POLÍTICA SE MANIFESTA

A deputada Márcia Lia se manifesta na Assembleia Legislativa a pedido o vereador Eduardo Sallum (PT), o mais votado dia 15 de novembro para a Câmara Municipal de Tatuí. No início da semana, o deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL) também se manifestou na tribuna da Assembleia Legislativa de São Paulo. Ao citar o Conservatório de Tatuí, o parlamentar tece severas críticas ao governador João Dória e ao secretário Sérgio Sá Leite, titular da Secretaria da Cultura. No entanto, não são só os partidos de esquerda que se preocupam com o Conservatório, pelo que ele significa para a cultura, não só para Tatuí, também para o Brasil.

A troca da Abaçai pela Sustenidos para gerenciar o Conservatório de Tatuí foi motivo de reunião. Na segunda-feira (14), a prefeita Maria José Vieira de Camargo (PSDB), munida de documento elaborado pelo chefe de gabinete Christian Pereira de Camargo, encontrou-se com secretário Marco Vinholi (Desenvolvimento Regional) e se posicionou contra mudança na administração do Conservatório. A titular do Poder Executivo tatuiano foi contundente em uma manifestação na sua página na rede social. Maria José foi taxativa que não admite interferências na administração do CDMCC, que prejudique o bom andamento pedagógico e do ensino musical de alto nível ministrado pela escola. Ao tomar esse posicionamento, praticamente ela se coloca contra a intenção do secretário da Cultura e da Sustenidos, que apresenta um projeto para sucatear o Conservatório. Outro a se manifestar, desta vez no Jornal Integração, foi o vereador Antonio Marcos de Abreu (PSDB), presidente da Câmara Municipal de Tatuí. Marcos diz que “as informações apuradas pelo Jornal Integração, através das perguntas enviadas à Secretaria de Estado da Cultura são preocupantes, considerando que as medidas previstas, tais como, demissões, extinções dos cargos de monitores, fechamento de cursos de artes cênicas e dos cursos da área de choro e até o fechamento do Polo de São José do Rio Pardo, afetam não apenas a comunidade local. Da forma em que está colocado, representam um risco iminente à cultura do País, pois desconsideram a importância e a posição de excelência do Conservatório de Tatuí no cenário mundial, diz o presidente da Câmara”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: